silos de dados

Entenda a importância de integrar silos de dados para oferecer melhores experiências

Com a possibilidade de captura de grande quantidade de informações pelas empresas, os silos de dados passaram cada vez mais a serem um fator de grande influência na hora de executivos tomarem decisões. Atualmente, dizemos que os dados são uma fonte da riqueza, como foi o caso do petróleo como matéria prima para a economia no século XX. E assim como os hidrocarbonetos, os dados devem ser resguardados e refinados para sua transformação em informação estratégica para os negócios.

Porém, diferentemente dos recursos naturais não-renováveis, os dados não são um recurso finito; pelo contrário, seguem em crescimento de forma exponencial. A consultoria IDC projeta que a quantidade de informação gerada no mundo cresce a um fator 10, de forma que duplicará o seu tamanho a cada dois anos entre 2013 e 2020.

Ainda segundo a IDC, o volume anual de dados gerados no mundo deverá alcançar a marca de 163 zettabytes (um zettabyte corresponde a um trilhão de gigabytes) em 2025. Para efeito de comparação, isso é 10 vezes o volume de dados gerado em 2016 no mundo, que foi de 16.1ZB.

Silos X Cultura

Mas apesar de toda tecnologia que as empresas desenvolveram para captação e análise desses dados, em muitos lugares falta o que chamamos de cultura de dados. Mas o que isso significa? Não basta ter os dados, é preciso saber utilizá-los a favor da estratégia do negócio e com frequência. A utilização de toda essa grande quantidade de informações de forma estratégica tem que fazer parte dos processos da empresa e da cultura organizacional.

Um dos maiores entraves para que uma empresa data-driven é a fragmentação das áreas, o chamado silo de dados. Muitas vezes as informações ficam restritas a uma unidade ou a um departamento, tornando o processo de viabilizar essa cultura por toda a companhia algo frustrante. Por isso, é importante que os dados estejam disponíveis e sejam de fácil acesso.

Há também casos em que o setor de Marketing é bem estruturado em relação a dados, mas o resto da empresa não. É preciso dizer que uma empresa que quer de fato ser data-driven leva isso para todos as suas áreas.

Transformar dados em vantagem estratégica, possibilitando a tomada de decisões mais assertivas, deve ser possível para todos os departamentos. Só assim haverá uma real mudança cultural que vai levar a melhores resultados.

Essa nova cultura é que vai evitar a criação de silos de dados e construir uma visão 360º do cliente.  Segundo o diretor sênior de gerenciamento de produtos da Oracle, Jeff Wartgow, para conseguir essa visão 360º. e transformar a experiência de cliente em um diferencial competitivo, é preciso focar em três áreas. “Em primeiro lugar, garantir que as atividades de Customer Experience (CX) são suportadas pelo conjunto mais amplo possível de dados”, diz, explicando que isso significa ir além dos perfis tradicionais de consumidores em sistemas de gerenciamento de relacionamento (CRM).

“As empresas agora podem obter um entendimento ainda mais profundo sobre os seus clientes ao adicionar informações detalhadas e anonimizadas de corretores de dados terceirizados que coletam insights sobre grupos demográficos chave, incluindo seu estilo de vida e preferências de compra”.

O executivo da Oracle ainda destaca que as empresas precisam usar as ferramentas atuais de Analytics para transformar os processos de experiência do cliente, e não apenas automatizá-los – o que inclui empregar a Inteligência Artificial em todas as áreas possíveis. Mas isso não significa entregar todo o trabalho para as máquinas, ressalta. “A IA não substitui a expertise humana; ela simplesmente examina os dados disponíveis para que os representantes possam tomar decisões melhores de forma mais rápida.”

Por isso, os dados devem ser atualizados, analisados, utilizados e compartilhados, com acesso por diferentes usuários e por meios distintos, e com total segurança.

Como se formam os silos de dados

Os silos de dados se formam quando uma organização possui diversos sistemas informatizados, planilhas eletrônicas e aplicativos desconectados entre si. Isso costuma acontecer por questões como:

  • Incompatibilidade tecnológica
  • Barreiras de segurança
  • Problemas de arquitetura incorreta do software
  • Falta de governança corporativa de TI
  • Monopólio da informação a fim de gerar poder para o indivíduo ou grupo que a detém
  • Localização física distinta entre os diversos bancos de dados

 

E os maiores riscos para a empresa quando existem silos de dados são:

 

  • Fragilização das estratégias do negócio devido à fragmentação dos dados, que resulta em informações inconsistentes ou incompletas
  • Pulverização das ações e estratégias de marketing
  • Perda de tempo e insatisfação dos empregados que têm que garimpar dados de sistema em sistema
  • Criação de uma cultura de retenção de informações — devido a práticas gerenciais que privilegiam o desempenho individual em detrimento do sucesso da equipe
  • Descompasso entre as funcionalidades e os benefícios ofertados pela sua equipe de vendas e as reais entregas dos seus produtos e serviços — desgastando a imagem da empresa
  • Vulnerabilidade a fraudes digitais
  • Prejuízos financeiros por perda de vendas, descumprimento de prazos de pagamento, descontrole nas contas a receber, não atendimento a cláusulas contratuais
mkt intelligenzia
intelligenzia-mkt@intelligenzia.com.br
No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.